cê sabia que existem galáxias orbitando a Via Láctea? Até onde se sabia, havia 49 desses sistemas estelares girando ao redor do nosso. Entretanto, de acordo com Fiona MacDonald, do portal Science Alert, recentemente, astrônomos da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, anunciaram a descoberta de mais uma dessas formações, aumentando a contagem de galáxias que nos rodeiam.

Batizada com o nome de Crater 2, se trata de uma galáxia anã que se encontra a aproximadamente 400 mil anos-luz de distância. Mas não deixe que a classificação de “anã” engane você! Os astrônomos explicaram que o sistema recém-descoberto possui cerca de 7 mil anos-luz de diâmetro, o que faz dele a quarta maior galáxia orbitando a Via Láctea. E como é que só foram descobrir a Crater 2 agora?

Galáxia “discreta”

Segundo Fiona, não pense que a Crater 2 achou a nossa vizinhança interessante e resolveu se mudar para cá de uma hora para outra. Na verdade, a galáxia sempre foi um satélite da Via Láctea, mas, como as suas estrelas são incrivelmente difusas, o brilho de sistemas vizinhos acabou encobrindo o seu, impedindo que ela fosse vista.

Aliás, de acordo com os cientistas, a Crater 2 é uma das galáxias menos brilhantes já detectadas no cosmos, o que significa que ela é praticamente invisível. Do contrário, caso esse sistema não fosse tão “discreto”, ele seria facilmente visível no céu noturno e, embora disperso, pareceria duas vezes maior do que a lua cheia. Veja a ilustração a seguir para você ter uma ideia:

Essa é a comparação em escala da Crater 2 ao lado da Lua — se a galáxia fosse mais brilhante

Será que temos mais satélites?

A galáxia foi descoberta em janeiro, depois de os astrônomos usarem um algoritmo para analisar imagens capturadas pelo VLT — Very Large Telescope —, localizado no Chile. O objetivo da equipe era encontrar regiões no espaço nas quais poderiam existir agrupamentos incomuns de estrelas e, entre eles, lá estava a Crater 2.

Os cientistas acreditam que esse sistema possivelmente faz parte de um pequeno grupo de galáxias que estão “caindo” em direção à Via Láctea. Além disso, eles também disseram que, durante a última década, o número de galáxias satélite que orbitam ao redor da nossa dobrou — o que indica que não só podem existir mais dessas formações estelares nos circundando, como ainda temos muitas coisas para descobrir a respeito da nossa própria vizinhança.[MegaCurioso]

Comments

comments